quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Alexandra

Tudo Acabou - Alexandra

Passeio de Charrete/Pólvora (Single, Rossil)

Passeio de Charrete - autoria de António Rosa e Carlos Paião
Pólvora - autoria de Carlos Paião e António Sala

Nota: "Tudo Acabou" foi regravado por Fafa de Belém.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

José Alberto Reis


José Alberto Reis participou no Festival RTP da Canção de 1989 com uma composição de Carlos Paião ("Palavras Cruzadas") tendo ficado em 4º lugar.

Com outra das canções deixadas por Carlos Paião ("Sol Maior") representou Portugal num certame realizado em Xangai.

Notas: "Sol Maior" foi gravado em 1994, no disco "Alma Rebelde". Aparece também no disco de colaborações lançado em 2006; "Palavras Cruzadas" não chegou a ser gravado.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Sam The Kid


Playback (Instrumental) (Tributo a Carlos Paião)
Artista: Sam The Kid
Data: 2008
Editora: Farol


O tema faz parte do tributo editado pela Farol. Anteriormente já tinha sido referido por Sam The Kid que apreciava os Festivais da Canção e também o trabalho de Carlos Paião.

No tema "Juventude (é Mentalidade)" do disco "Pratica(mente)" aparece uma referência a Carlos Paião:

momento sem esperanças com motivação de reformado,a minha meta é trabalho e no meu ganhar mais,aki o fechado mas é achado noutros locais,assim a vida existe depois do caixão,ressureição estilo Carlos Paião,respiração, não concordes com recordes amanhã já não são, segue a intuição que não engana como algodão"

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Tributo a Carlos Paião

Tributo A Carlos Paião (CD, Farol, 2008)

01. Rui Veloso - Cinderela
02. Tiago Bettencourt e Mantha - Pó de Arroz
03. Donna Maria - Vinho do Porto
04. Filipa Cardoso & Fábia Rebordão - Cegonha
05. Pólo Norte - Eu não sou Poeta
06. Perfume - Versos de Amor
07. Balla - Não há duas sem três
08. MESA - Senhor Extraterrestre
09. Loto - Telefonia
10. M.A.U. - Ga-gago
11. Sam The Kid - Playback (Instrumental)
12. 4Taste - Playback
13. Oioai - Discoteca

Tributo

Spot

Paião revisitado 20 anos depois da sua morte

Para assinalar 20 anos sobre a morte de Carlos Paião, é editado um tributo ao cantor dos anos 80, onde 13 artistas da nova geração - como Tiago Bettencourt, Donna Maria ou Mesa - prestam homenagem ao compositor de Playback. As únicas excepções são as presenças de Rui Veloso e Pólo Norte.

Carlos Paião morreu a 26 de Agosto de 1988, vítima de um acidente de viação, tinha apenas 30 anos. Mas o seu legado tornou-se um dos mais importantes para a música pop nacional, mesmo que a sua carreira tenha sido bastante breve. "É um músico que ficou no imaginário popular", referiu Rui Veloso ao DN, que em Tributo a Carlos Paião fez uma versão do muito conhecido Cinderela. O músico contou como conheceu Paião: "estava ele na Valentim de Carvalho, a tocar piano, sendo que assinámos contrato curiosamente na mesma altura".

Ao DN David Benasulim, A&R da editora e um dos responsáveis por este projecto, referiu que "a estratégia para este disco" foi "buscar sangue novo aos vários quadrantes da música nacional e a partir daí construir algo harmonioso, respeitando sempre o repertório de Carlos Paião". E ao longo dos treze temas que preenchem este tributo poderão ouvir-se artistas de hip hop, de fado, de punk, da electrónica até à pop/rock mais convencional.

O eclectismo de Carlos Paião foi uma das características apontadas por Miguel Majer, membro dos Donna Maria, que reinterpretaram Vinho do Porto. "A criatividade dele era muito forte, navegava em várias águas, em vários estilos. Foi mesmo um excelente letrista e compositor", referiu o músico.

David Benasulim confessou mesmo que esta compilação vem "reflectir o espírito ousado e brincalhão de Carlos Paião".

No tributo tanto estão presentes os temas de maior sucesso do compositor, como por exemplo Cinderela, Pó de Arroz ou Playback, como outros que o músico compôs para vozes alheias. É disso exemplo O Senhor Extra-Terrestre, que foi interpretado originalmente por Amália Rodrigues e que agora foi recriado pelos Mesa.

JOÃO MOÇO/Diário de Notícias, 30/09/2008

sábado, 3 de outubro de 2009

Carnaval Infernal





Comemorar a época carnavalesca no Inferno é um diversão diabólica representada por um Lobo Punk, um Anjo Rico, um Pobre Diabo e uma Bruxa Casamenteira, que dialogam rimando à maneira vicentina.
Abrilhantam a função três cantores: Carlos Mendes, Carlos Paião e Joel Branco.

Esta peça foi exibida pela R.T.P. em 1986

Realização Manuel Varela
Texto : Carlos Correia

Peça