quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Recordar Carlos Paião em Cascais


Exposição patente, até 13 de Março de 2011, no Espaço Memória do Teatro Experimental de Cascais

O Espaço Memória do Teatro Experimental de Cascais (TEC) tem patente, até 13 de Março de 2011, uma exposição dedicada a Carlos Paião, que conta com recordações inéditas cedidas pelos pais, familiares e amigos do cantor que morreu em 1988. Inaugurada no passado dia 8 de Dezembro, com a presença dos pais, a exposição “Carlos Paião, Compositor e Intérprete” é composta por várias fotografias em momentos da infância, ambiente familiar e em espectáculos. A par das imagens, ainda é possível ver o piano e a viola com os quais Carlos Paião criou alguns dos seus maiores sucessos.

A inauguração contou com uma interpretação de alguns temas de Carlos Paião pelos alunos da Escola de Teatro e foi aproveitada também para a entrega do “Prémio Carlos Paião”, instituído pelo TEC, a Rui Veloso, pelos seus 30 anos de carreira, e a Herman José, por ser “um grande divulgador do trabalho de Carlos Paião”. João Vasco, professor da Escola de Teatro de Cascais e organizador da exposição, salientou que “Rui Veloso é um intérprete notável e muito humano. Este prémio é pelos seus 30 anos de actividade e pela sua brilhante vida artística”.

Na ocasião, Rui Veloso aproveitou para contar “uma pequena história”: “Em 1979, na Rua Nova de Almada, havia uma sala com um piano. Em miúdo fui para a sala de espera e estava um miúdo ao piano que era o Carlos. Conhecemo-nos ali. Depois ficámos amigos e eu fiquei fã dele, foi um compositor muito profícuo e popular, com canções à Beatles, como o Pó de Arroz”. Herman José foi outro dos premiados distinguidos com uma peça do escultor de Sintra, Moisés. O humorista e apresentador não esteve presente para receber o prémio, mas deu o seu testemunho. “O Carlos Paião mantém-se mesmo depois da sua morte física. Meu companheiro de espectáculos ao vivo. Enquanto eu viver não há passagem de tempo que lhe apague a memória”, salientou. Na inauguração da exposição, esteve também presente o presidente da Câmara de Cascais, António Capucho, que realçou que Carlos Paião, “além de ser um grande cantor e músico, era um homem de grande mérito que deixa uma grande saudade”.

Jornal da Região

Pedro Vilar


Pedro Vilar




Os temas inéditos que eu gravei de CARLOS PAIÃO são os seguintes:


1º-TALVEZ
2º-BEIJO ROUBADO
3º-CANÇÃO DA ULTIMA IDADE


E guardo comigo, que me deu a mãe do Carlos, a primeira musica que ele fez com 14 anos, vou gravá-la brevemente



 Pedro Vilar, 25/01/2011


Canções gravadas de Carlos Paião:



Talvez (Single Promocional, Discossete, 1989)



Canção da Última Idade - LP "Pedaços de Mim". Discossete-1994
Beijo Roubado - LP "Pedaços de Mim". Discossete-1994



segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Entrevista a Maria do Deserto

http://www.radioportugas.com/online/home/index.php?pg=video&id=52






Entrevista feita por Pedro Carvalho da http://radioportugas.com/ a Maria do Deserto, autora da Fotobibliografia sobre Carlos Paião.


"Obra de luxo, 418 páginas, 260 fotos, um CD ROM coordenação da obra desde a hora do nascimento até ou seu funeral. (Uma viagem de uma Vida). Uma homenagem ao artista para que nas futuras gerações possam ter uma obra para informação como para investigação. Tem váris testemunhos, como dos país, da viuva, e de muitos artista do mundo da música.

Literatura em Movimento

http://projectooletras.blogspot.com/
letrasyep@gmail.com
+351 229415571

contactos para comprar a fotobiografia

http://carlospaiaofotobiografia.blogspot.com/