sábado, 12 de novembro de 2016

Outras Versões

É conhecido que Carlos Paião escreveu para muitos outros cantores. Algumas dessas canções obtiveram grande sucesso nas carreiras desses artistas e mais tarde algumas foram cantadas por outros artistas.



Deixamos aqui a informação sobre algumas versões conhecidas:



* Ah Fadista (Vasco Rafael) - Sérgio Nunes (1998)
 
* A Gente Cresce, Cresce (Joel Branco) - Kirka [Sateinen Päivä] (1981)


* Canção do Beijinho (Herman José) - Azeituna



* Eu Já Namoro / O Meu Avôzinho (Pedro Couceiro) - Manuel João (1985)


* O Senhor Extraterrestre (Amália Rodrigues) - Mesa (2007), Gisela João (2016)



* Trocas e Baldrocas - (Cândida Branca-Flor) - Harmony Cats (1983)

* Tudo Bem (Alexandra) - Fáfa de Belém (1993)



Gisela João

O disco "Nua" de Gisela João inclui uma versão de "Senhor Extra-Terrestre" gravado por Amália Rodrigues

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Fim de Festa - Cândida Branca-Flor

(...) Man Matos (ex-marido da cantora Alexandra) acaba por instalar um estúdio de gravação na rua Carlos Mardel em Lisboa onde prepara gravações para discos e "demos".

Luís Arriaga foi várias vezes à Carlos Mardel, quase à esquina da Av. Morais Soares, ali ao Chile, gravar "demos", ou para os Festivais da Canção RTP ou para outros eventos.

Diz-nos o Luís. "Muitos compositores iam lá para gravar ou para os Festivais ou para apresentar às Editoras. Eu fiz lá várias gravações, tocava viola e o Manel tocava ou baixo ou percussão. A gravação que fizemos para uma música minha com letra do Carlos Paião, que tocou orgão, ele tocou viola baixo e eu toquei viola em todas.

Envio-te a gravação cantada pela Cândida Branca Flor, "Fim de Festa".

Onda Pop nº 77

Ler mais informações e ouvir a gravação em http://www.ondapop.pt/nordm77.html

sábado, 2 de julho de 2016

Nuno Miguel

Carlos Paião volta a compor temas para participar na Gala dos Pequenos Cantores da Figueira da Foz (1985):

Prémio Melhor música para "Dia de Festa" interpretado por Nuno Miguel (jovem emigrante no Canadá) e com autoria de Carlos Paião.

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Broa de Mel

Os Broa de Mel gravaram o tema "Em Lua de Mel" da autoria de Carlos Paião (LP, Discos CVS, 1987).


Em Lua de Mel (1987)


"Conhecemo-nos num programa festival, namorámos e depois do nosso casamento fizemos vários concertos como amadores. Éramos convidados para fazer as primeiras partes dos cantores profissionais, onde conhecemos a Amália Rodrigues, Carlos Paião, José Cid, Paco Bandeira, Cândida Branca Flor… Mas foi preciso deixarmos Rio Tinto e irmos para Lisboa fazer a nossa carreira. Em conversa connosco, o Carlos Paião chegou a dizer: “É pena porque vocês sabem muito bem o que andam a fazer e há poucos duos.” Convencemo-nos e começamos a fazer contactos para ir ao Festival da Canção de 1982." Vivacidade

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Inéditos

Os pais de Carlos Paião com Nuno da Câmara Pereira, Ana e Mário Martins

Nomes que gravaram inéditos de Carlos Paião após o seu falecimento:

- José Alberto Reis participou no Festival RTP da Canção de 1989 com "Palavras Cruzadas" que nunca foi gravado. Também cantou o tema "Sol Maior" que foi gravado em 1994, no disco "Alma Rebelde.

- Ana que foi dos primeiros nomes a cantar Carlos Paião gravou o tema "ilusão" no seu álbum de 1989.

- O álbum "Microfone e Voz" de António Sala, de 1989, inclui o tema "A Um Amigo" com letra de António Sala e música de Paião.

- Mísia gravou, em 1991, o tema "Ai Que Pena" de Carlos Paião e Mário Martins.

- José da Câmara gravou o tema "Ai Fadinho" em 1991.

- Nuno da Câmara Pereira gravou em 1992 o tema "A Marcha do Castelo",

- A cantora Alexandra Cruz gravou em 1993 três inéditos: "Amigos eu voltei", "A vida quer, a vida Manda" e "Vamos parar o tempo". "Amigos eu voltei" foi o tema com que Carlos Paião concorreu ao Festival da Canção de 1980 mas sem ser apurado.
- O álbum "Histórias" de António Sala, de 1993, inclui o tema "Pecado Capital".

- O cantor Pedro Vilar gravou os temas "Talvez", "Canção da Última Idade" e "Beijo Roubado".

- O segundo volume do projecto "Novo Canto Português" de Pedro Brito, lançado em 2008, inclui o tema "Tempo". 

- O tema "O Novo Povo" não chegou a ser gravado por Amália mas em 2016 foi gravado penta cantora Yolanda Soares.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Yolanda Soares

"O Nosso Povo", um tema de Carlos Paião que Amália chegou a gravar mas que nunca foi editado, é o tema de apresentação do novo álbum da cantora Yolanda Soares.

"O Nosso Povo", single do meu novo álbum, que foi estreado no "Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades", está a chegar ás 1000 visualizações no youtube com apenas dia e meio de exposição. . Partilhem o quanto puderem o meu vídeo, e se puderem, ou quiserem, comentem mesmo no youtube , e não somente aqui, para que possam ficar os vossos comentários registados no canal do vídeo .

O meu álbum, para quem me tem perguntado, sai em Setembro com muitas mais surpresas que ainda não desvendei e anunciarei os espectáculos nessa altura .Obrigada queridos amigos pelo vosso carinho, apoio e divulgação do meu trabalho e aqui está o link do video onde podem deixar comentários: https://www.youtube.com/watch?v=B3-EZpZ3EYQ

Yolanda Soares: Estou de coração cheio depois de ler o comentário dos pais de Carlos Paião, e quero agradecer ao Miguel Meira por me ter dado esta alegria. Como não estou a conseguir responder ao Sr Carlos Teles Paiao (na sua página do facebook), respondo aqui na minha página que me sinto honrada de ter recebido este elogio da família do Carlos Paião. Apaixonei-me por este tema no instante que o ouvi, na voz de Amália, e disse-me tanto, e de tal forma, que o escolhi imediatamente para ser a "cara" desta minha nova caminhada e ser o single deste CD (mesmo após ter recebido tantas opiniões contrárias do que seria melhor para sair como single..) . Eu segui o meu instinto e quis "vesti-lo" de grande nobreza artística e simbolismo. Fi-lo á minha maneira. Vejo-o com beleza tal, e com uma grandiosidade de conteúdo que pensei imediatamente na "Joanina". Porque no poema de Paião senti Camões, senti história,senti sabedoria, senti grandeza, senti a alma portuguesa, senti esperança, senti sensualidade, senti romantismo, senti dor, senti paixão, senti uma nação. OBRIGADA!

Carlos Teles Paião: Queremos aqui manifestar a Miguel Meira os nossos maiores agradecimentos por nos ter dado a conhecer esta magnífica interpretação de "O Nosso Povo" por Yolanda Soares que achamos belíssima neste vídeo deslumbrante. Parabéns aos autores, músicos e técnicos que conceberam esta autêntica maravilha.


Yolanda Soares Royal Fado
 O NOSSO POVO
 Letra e música : Carlos Paião
 Arranjos: Chris Marshall

 O nosso povo não chora
 Fala de amores e suspira
 Teve uma rosa de sonho e agora
 Fala que o sonho é mentira
 O nosso povo tem asas
 Dentro de uns olhos tão fundos
 Pode fazer outros sonhos e casas
 Pode inventar outros mundos
 Por isso se canta
 Por isso se peca
 Por isso a garganta está seca
 Por isso se dança ao sabor da aventura
 Por isso a esperança perdura
 Como se a vida quisesse
 Como se o povo coubesse
 Numa canção de ternura
 O nosso povo não sabe
 Todas as coisas que eu sei
 Tem uma réstia de luz onde cabe
 Todo o amor que eu lhe dei
 O nosso povo é um rio
 Diz-nos de cór a lição
 Dêem-lhe remo, uma vela, um navio
 e outros mares surgirão
 Por isso se canta
 Por isso se peca
 Por isso a garganta está seca
 Por isso se dança ao sabor da aventura
 Por isso a esperança perdura
 Como se a vida quisesse
 Como se o povo coubesse
 Numa canção de ternura

Videoclip do single " O nosso Povo" https://www.youtube.com/watch?v=B3-EZpZ3EYQ

Nomes como Mário Martins ou Henrique Feist tinham anteriormente destacado esta composição  de Carlos Paião que pode ser ouvida no youtube desde há alguns anos.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Homenagem

TRIBUTO A CARLOS PAIÃO



data: 29 de janeiro | hora: 22h00│local: ABMAV - Estrada de Polima, N.º 609


Juntos vão estar grandes amigos, alguns que ainda estão a ser contactados. Mas ficam os que sabemos que irão pisar aquele palco:
 
- Coro "Vox Laci" de S. Domingos de Rana
- Júlio Isidro
- António Sala
- Henrique Feist
- Nuno da Câmara Pereira
 - Lenita Gentil
- Pedro Vilar
- Ana
- Paulo Salgueiro
- Dulce Guimarães
- Joel Branco
- Coro das Crianças de Carcavelos
- Carlos Quintas

Gente que cantou e canta a imortalidade de momentos que não têm passado, mas presente, e foram e são chave para uma vida que continua na mente de todos nós.
 
Os Parabéns à Junta de Freguesia de São Domingos de Rana, em especial à sua Presidente Profª Fernanda Gonçalves, por esta iniciativa tão bonita e por todo o empenho de todos quantos fazem parte.



Nota: No dia 30 de Janeiro inaugurar-se-á uma exposição sobre a sua vida, nas instalações da Junta de Freguesia de São Domingos de Rana, pelas 18h.



Tributo a Carlos Paião na freguesia


Junta de Freguesia de São Domingos de Rana's photo.




A Junta de S. Domingos de Rana presta homenagem a Carlos Paião, figura incontornável no panorama musical português, organizando um concerto de tributo, no próximo dia 29 de janeiro, nas instalações da Associação de Beneficência Manancial de Águas Vivas, em Polima.


Ao longo da iniciativa, serão vários os artistas que interpretarão temas que marcaram diferentes gerações e partilharão momentos vividos com o acarinhado cantor e compositor, que... residiu na freguesia durante largos anos. Henrique Feist, Nuno da Câmara Pereira, Lenita Gentil, António Sala, Júlio Isidro, Coro Vox Laci, Coro Infantil da Sociedade Recreativa e Musical de Carcavelos e Ana são alguns dos nomes já confirmados.




No dia seguinte, 30 de janeiro, pelas 18 horas, será inaugurada nas instalações da Junta de Freguesia de S. Domingos de Rana uma exposição sobre Carlos Paião. Falecido a 26 de agosto de 1988, aos 30 anos, num acidente de viação, ficará para sempre associado a “Cinderela”, “Pó de Arroz” ou “Play-Back”, entre tantas outras músicas inesquecíveis.




data: 29 de janeiro | hora: 22h00│local: ABMAV - Estrada de Polima, N.º 609




O tributo irá realizar-se na ABMAV - Associação de Beneficência Manancial de Águas Vivas, sita na Estrada de Polima (próximo da Progelcone).




Facebook JF S. Domingos de Rana




Concerto de homenagem a 29 de janeiro




Era uma figura incontornável no panorama musical português. Para relembrarmos quem era Carlos Paião, a sua influência na música portuguesa e reviver alguns momentos, recebemos os pais do músico – Ofélia e Carlos Paião – e Maria Fernanda Gonçalves, presidente da Junta de Freguesia de São Domingos de Rana.




No próximo dia 29 de janeiro, a Junta de Freguesia de São Domingos de Rana presta homenagem a Carlos Paião, organizando um concerto de tributo.




Recebemos mais três convidados especiais: Mário Martins, produtor; Ana, cantora e Nuno da Câmara Pereira, fadista.




- See more at: http://media.rtp.pt/blogs/agoranos/artigos/tributo-a-carlos-paiao_7238#sthash.Qd2CYUYp.wGBvJ7TN.dpuf

domingo, 17 de janeiro de 2016

Lions Clube de Ílhavo homenageou Carlos Paião

A Comunidade Ilhavense não esquece o cantor e compositor Carlos Paião, que se fosse vivo teria 58 anos.


Com uma juventude passada em Ílhavo, terra de seus pais, Carlos Manuel Teles Paião, piloto de barra e da professora Ofélia Machado Marques Paião.


Com uma carreira musical brilhante, interrompida de forma trágica, Carlos Paião teve como primeiro reconhecimento público vencer em 1978 o Festival da Canção do Illiabum Clube.


O Lions Clube de Ílhavo acaba de prestar sentida homenagem a Carlos Paião, nas pessoas de seus pais, durante o jantar comemorativo do 7.º aniversário do Clube, realizado no passado dia 9 de Janeiro.


Coube a António Rocha diretor da sessão de aniversário fazer a evocação de Carlos Paião que foi ilustrada em projeção na sala, tendo a Presidente do Clube, Rosa Vieira, feito a entrega do Diploma de Mérito a título póstumo aos pais de Carlos Paião.


Rosa Vieira referiu na altura que “é conhecida a ligação de Carlos Paião a Ílhavo e o seu elevado contributo para afirmar e prestigiar o nosso concelho, pelo que é de toda a justiça homenageá-lo”.
Carlos Teles Paião agradeceu, sensibilizado, em nome da família esta sentida homenagem ao jovem autor, compositor e intérprete desaparecido precocemente.


Os responsáveis autárquicos presentes, Eng.º Marcos Ré, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Ílhavo, Dr. João Campolargo, Presidente da Junta de Freguesia de São Salvador e Dra. Domingas Loureiro, Presidente da Assembleia de Freguesia, associaram-se a esta iniciativa dos Lions a um vulto que deixou marcas indeléveis na comunidade ilhavense.


Também os responsáveis lionísticos presentes Carlos Lopes, Presidente do Conselho Nacional de Governadores e Aureliano Soares, Governador do Distrito 115 Centro Norte de Lions Clubes, enalteceram a justeza desta homenagem a Carlos Paião.


Para sublinhar este gesto o grupo musical “Cantus Firmus”, formado por jovens de Aveiro – Luís Adão, Lucas Oliveira, Carolina Roldão, Beatriz Capote, Maria João Balseiro e Bruno Almeida, que é organista principal na Igreja de Ílhavo – interpretou na altura diversas composições de Carlos Paião que ainda hoje perduram na nossa memória coletiva, nomeadamente “Cinderela”, “Eu sei” e “Playback”.


http://ptjornal.com/lions-clube-ilhavo-homenageou-carlos-paiao-63548

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Melodias eternas e inacabadas

"Acordar ao ´som´ destes 27 anos de saudade, que não pararam no tempo. 

Acordar e sentir o quanto o tempo voou, mas deixou tantas recordações de momentos tão bem vividos, tão amados e tão pautadas por uma família que só queria estar unida e viver com os sorrisos das certezas. Esta foi a realidade que ninguém consegue enfrentar e muito menos deixar que o tempo apague.
 
A ´Cegonha´ nunca vai deixar de sonhar, porque houve muitas Cinderelas, muitos Versos de Amor ´pintados´ com Pó de Arroz e os Cinco Dedos não foram suficientes para contar os momentos inesquecíveis. Aqui não há Intervalo...porque o tempo continua a passar, quando o tempo parou e ficou naquela imagem da dor sofrida e vivida, que será eterna, será amarga, com ´sabor´ a um amor que não se esquece.
 
E nos Intervalos da vida, não há pausas nem tempo para andar em frente, porque as recordações são as melhores que uns pais podem ter.
 
Houve tantos Versos de Amor que ficaram inacabados, mas as Nuvens nunca vão deixar de Chorar, porque Lá Longe.....o Carlos continua a escrever a História Linda e continua a ´cantar´ as canções que serão eternas, porque há homens que nunca morrem, há homens que ficam para a história, para as muitas histórias que vão sendo contadas e cantadas...lá no Céu."


(Rosário Azedo)